Categorias
Saúde

Tenho SII, preciso de probiótico?

O uso de probióticos para alivio e controle de sintomas gastrointestinais é bastante popular e seguro. Em pessoas com Síndrome do Intestino irritável (SII), esse cenário não é diferente.

Há uma gama de produtos probióticos que vão desde cápsulas, pós, iogurtes e leites fermentados. Cada qual com sua cepa, quantidade e valor terapêutico.

Por isso, não é “tanto faz” OU “qualquer um é bom”…

Mas, o que são probióticos?

Os probióticos são “microorganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem um benefício à saúde do ser humano”

Para ter efeito na função intestinal, concentrações suficientes de microorganismos devem sobreviver ao trato gastrointestinal.

Como eles agem?

De 3 principais maneiras:

1. Alteração da composição da microbiota intestinal

Os probióticos podem promover a colonização do intestino com uma população de bactérias que está em falta, por exemplo.

Também são capazes de estimular o crescimento de bactérias benéficas que já habitam a microbiota intestinal.

Estas mudanças na composição da microbiota podem melhorar o funcionamento intestinal.

2. Modulação da função imunológica

Algumas cepas probióticas podem tornar o perfil imunológico mais anti-inflamatório do que pró-inflamatório, favorecendo a imunidade.

3. Modulação da barreira da mucosa intestinal

Os probióticos podem também reforçar a produção de muco e, portanto, a barreira intestinal.

Essas ações são consideradas específicas para determinada cepa, e é por isso que um relatório conjunto da FAO e da OMS enfatizou que os benefícios de uma cepa probiótica podem não se aplicar a outras cepas.

Por isso, não é quanto mais melhor…

E na SII?

Especificamente em pessoas com SII, há estudos que apontam que os probióticos podem melhorar a hipersensibilidade que esses pacientes apresentam e afetar positivamente a motilidade intestinal.

Vale ressaltar que os resultados dos estudos com probióticos em SII não possuem diferenças expressivas quando comparado a placebos (pacientes que seguem um protocolo de tratamento para SII sem probióticos).

Além disso, o benefício do probiótico é a longo prazo, sendo o mínimo 4 semanas e, dependente da boa adesão!

Os probióticos devem ser utilizados após um ajuste adequado da alimentação, eliminando os alimentos que são gatilhos para os sintomas intestinais (tem post sobre FODMAPs, corre lá), manejo do estresse e uso de medicamentos, quando necessário.

Portanto, probiótico não é uma terapêutica essencial, e sim coadjuvante no tratamento da SII!

Em outras desordens intestinais, o uso de probióticos também pode ser benéfico, associado ou não com os prebióticos, mas cada caso é um caso, e cada macaco no seu galho rs. 🙂

Os probióticos não se limitam a problemas intestinais, podem ser usados em outras condições, isso é assunto para um próximo post.

Procure ajuda profissional!

Com carinho,

Isabela

Referências:

Ludidi S. Neurogastroenterol Motil. 2014.

Sisson G. Aliment Pharmacol Ther. 2014

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *